quarta-feira, 4 de maio de 2022

 

Tubarão tem cerca de 60 desalojados, trânsito modificado e previsão do nível do Rio Tubarão subir ainda mais; decreto é publicado

Divulgação

As fortes chuvas que ocorrem desde o início da semana em Tubarão já apresentam consequências que deixam a cidade em situação complicada. Nesta quarta-feira (4), mais de 60 pessoas precisaram deixar suas casas e ir para casa de parentes ou abrigos e os alagamentos em algumas áreas obrigaram a prefeitura a fazer modificações no trânsito, como a mão dupla provisória na avenida Patrício Lima e vias danificadas em localidades do interior.

Confira os principais fatos:

Desalojados: mais de 60 pessoas que vivem em áreas como São João Margem Esquerda, Bom Pastor, Humaitá, Madre, KM 60 se dirigiram para casa de parentes ou se abrigaram em locais como a Catedral e outras igrejas. O ginásio Paulo Jacob May está à disposição para receber as pessoas que precisarem deixar suas casas. Dezoito pessoas foram resgatas pelos Bombeiros Militares no bairro Bom Pastor, e levadas à Igreja Verdade Que Liberta. Na Catedral Diocesana existem cerca de 40 pessoas alojadas, com colchões que foram levados da Arena para lá. O prefeito Joares Ponticelli e o vice Caio Tokarski estão pessoalmente organizando estas operações.

Trânsito: a avenida Patrício Lima foi convertida em mão dupla por causa dos alagamentos na avenida Padre Geraldo Spettmann, que está completamente interditada, e vias próximas. Alguns semáforos deixaram de funcionar por causa dos alagamentos na sede da empresa responsável pela operação dos equipamentos.

Queda de energia: desde a madrugada diversos pontos da cidade ficaram sem energia elétrica, como Humaitá, Oficinas, Santo Antônio de Pádua e Congonhas. O Facilita Tubarão foi afetado por esse problema.

Alagamentos: regiões do São João Margem Esquerda, Sertão da Jararaca, Bom Pastor e Madre tiveram alagamentos, assim como algumas escolas do interior.

Educação – As aulas nas escolas da rede municipal de Tubarão foram suspensas nesta quarta-feira (4). A medida visou à segurança de alunos e professores uma vez que na terça-feira (3), algumas unidades já apresentavam dificuldades de acesso.

Nesta quarta-feira (4), diversas unidades amanheceram alagadas. A escola de Educação Básica São Judas Tadeu, no bairro Dehon, teve o pátio, área de refeição e salas alagadas. A escola Cleto da Silva, na Guarda Margem Direita, também teve pátio e área de entrada da escola alagadas. No CEI Cantinho da Alegria, no bairro Morrotes, houve alagamento na área externa e no CEI Branca de Neve, no KM 60, as ruas de acesso estão completamente inundadas, impossibilitando o acesso à unidade escolar. As escolas Maria Emília Rocha (bairro Recife) e Manoel Rufino Francisco (Passagem) também foram bastante afetadas pelas fortes chuvas, contudo, as duas unidades já apresentavam problemas estruturais, tanto que estão no cronograma de obras da Fundação Municipal de Educação e receberão, em breve melhorias, inclusive com a construção de uma nova escola no bairro Recife.

Nesta quarta-feira (4), não haverá expediente na sede administrativa da Fundação Municipal de Educação. Na terça-feira (3), os servidores foram dispensados mais cedo e para preservar os equipamentos, já que algumas salas apresentaram infiltração, a energia elétrica do prédio localizado à rua Isaac Newton, 194, foi desligada.

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Educação, Maurício da Silva, ressalta que neste momento o importante é preservar a vida dos servidores, por isso, as diretoras estão monitorando suas unidades escolares por meio das câmeras de vigilância.

Saúde – Algumas unidades básicas de saúde estão fechadas, a saber:

– Bom Pastor

– Guarda – equipe reduzida orientando a população, várias servidores não conseguiram chegar. Não tem médico

– KM 60

– KM 63 – fechou às 10 horas, mas uma servidora até meio dia orientando a população. Passarela interditada: a passarela Ângelo Antônio Zabot foi interditada por medida de segurança ainda na madrugada por riscos de choque. Um cão foi atingido, inclusive.

Nível do Rio Tubarão: na régua de medição localizada em frente ao quartel do Exército a medicação indicava 6m38cm acima no nível normal. A força-tarefa formada pela Prefeitura de Tubarão, Defesa Civil do Estado, Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal acredita que o nível do rio subirá ainda mais ao longo desta quarta-feira, o que mantém a cidade em estado de alerta. Nos dados coletados na região central, na medição das 10:17 pela Plantar Agronomia, o rio está 5,31 metros acima de seu nível normal. Em casos de emergência, ligue imediatamente para a Defesa Civil, no 199 e no 3621-9060, para o Corpo de Bombeiros Militar, no 193 ou para a Polícia Militar, no 190.

Rodoviária – embarque e desembarque de passageiros de ônibus intermunicipais estão sendo deslocados para as proximidades do Posto Fera, na avenida Patrício Lima, por causa dos alagamentos na avenida Padre Geraldo Spettmann.

Bombas hidráulicas – várias deixaram de funcionar ao longo da noite em virtude das quedas de energia. Agora pela manhã, a localizada na rua Tubalcaim Faraco também queimou, o que causa alagamentos na própria via, na rua Padre Bernardo Frauser e na Lauro Müller.

Nenhum comentário:

Postar um comentário