segunda-feira, 24 de maio de 2021

 Cavalgada do Bicentenário atrai mais de 40 mulheres para celebrar Anita Garibaldi


Modernas amazonas fizeram o sentido inverso da última viagem que a heroína fez em Laguna, o que simbolicamente representou o retorno da heroína para a cidade natal, em gesto feito pelas Guardiãs de Anita, quando cada uma colocou uma Rosa de Anita aos pés do seu monumento no Centro Histórico de Laguna.


À cavalo, elas vieram de diversas cidades do Sul do Brasil para homenagear Anita Garibaldi, a heroína dos dois mundos. Neste sábado, 22, o Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) reuniu cerca de cem pessoas, dentre eles mais de 40 mulheres para a Cavalgada do Bicentenário, evento que integrou as comemorações mundiais dos 200 anos de nascimento da catarinense Ana Maria de Jesus Ribeiro.


Foram quase dez horas de cavalgada entre a Barra do Camacho e a praça República Juliana. O trajeto relembrou a última viagem feita por Anita e Giuseppe Garibaldi antes de partirem rumo ao Rio Grande do Sul, durante os eventos que marcaram a extinção da República Catarinense, em novembro de 1839. As modernas amazonas fizeram o sentido inverso da última viagem que a heroína fez em Laguna, o que simbolicamente representou o retorno da heroína para a cidade natal, em gesto feito pelas Guardiãs de Anita, quando cada uma colocou uma Rosa de Anita aos pés do seu monumento no Centro Histórico de Laguna.


“O sonho de muitas mulheres é conhecer onde Anita passou, morou… E fomos justamente nesses caminhos de Anita”, resume Ivete Scopel, diretora do Departamento de Guardiãs de Anita. “A importância maior é que nesse local ocorreu um fato épico muito importante para nossa história e que está registrado nas ‘Memórias de Garibaldi’ [livro editado por Alexandre Dumas] e nas cartas de Anita.”, completa o historiador Adílcio Cadorin, diretor do instituto.


A vice-governadora Daniela Reinehr, que demonstra grande interesse pela história de Anita, acompanhou a cavalgada do início ao fim. “Muito me honra participar das comemorações do bicentenário de Anita Garibaldi e celebrar essa história de luta, de paixão, e ela é, cada vez mais, uma inspiração para todos nós”, comenta. Além de Daniela, o ato foi acompanhado também pelo prefeito de Laguna, Samir Ahmad, pela prefeita de Anitápolis, Solange Back, e o presidente da Fundação Catarinense de Cultura, Edson Lemos, representando o governador Carlos Moisés.


Monumento recorda partida

No mesmo ato, o CulturAnita oficializou a colocação de uma pedra fundamental que marca o início da construção de um novo monumento para preservar a história do casal Garibaldi para as futuras gerações. Com previsão de alcançar até 7,5 metros, “A retirada de Anita” vai retratar o momento em que Anita e Giuseppe deixaram Laguna pela última vez.


“Estamos estudando fazer as duas figuras a cavalo rumando ao Rio Grande do Sul. É uma estátua muito trabalhosa. Deve demorar até dois meses cada escultura”, explica o escultor Sérgio Coirolo, autor do monumento.


Também no sábado, o prefeito de Laguna anunciou que a prefeitura irá fazer do local um parque ambiental em homenagem à heroína, incluindo a colocação de um pórtico turístico. “Vamos fazer aqui um parque ambiental e preservar este local histórico , que terá um pórtico na mesma linha material do monumento, para que tudo esteja integrado e seja mais um atrativo turístico”, disse Ahmad, que também acompanhou a cavalgada até o final.


Vários locais

Do evento, participaram grupos de cavalaria de Joinville, Garopaba, Laguna, Imbituba, Lauro Muller, Orleans, Jaguaruna, Balneário Arroio do Silva e Araranguá – de Santa Catarina; e de Triunfo, São Jerônimo, Cambará do Sul, Xangri-lá e Lajeado – do Rio Grande do Sul.








Nenhum comentário:

Postar um comentário