sábado, 5 de outubro de 2019

Projeto Baú de Histórias do Sesc chega a 30 cidades catarinenses
A ação voltada ao público escolar apresenta quatro espetáculos de contação de histórias, selecionados entre 97 propostas.
Projeto Baú de Histórias do Sesc chega a 30 cidades catarinenses
O projeto Baú de Histórias, voltado para crianças e jovens, percorrerá 30 cidades catarinenses. Com quatro espetáculos de contação de histórias, selecionados entre 97 propostas cadastradas na plataforma IdCult.Sesc, são eles: “Tiana e Gazé”, de Camila Miotto (Chapecó/SC); “Quedelhe o Boi?”, do Pequeninus Grupo de Arte (Canelinha/SC); “Maracá”, da Cia ContaCausos (Chapecó/SC) e “Da Boca do Povo” ou “A Caixa, os Brinquedos e o Mágico de Oz”, de Lieza Neves (Florianópolis/SC), que apresentará um espetáculo ou outro de acordo com a cidade e o público.

A seleção dos grupos foi pautada na qualidade da encenação e relevância literária da proposta. O projeto introduz no cotidiano de Santa Catarina uma arte popular de origens ancestrais, que remonta ao próprio nascimento da sensação do tempo entre os homens, quando a fala passou a ter o poder de tornar presentes fatos que ocorreram num passado distante e que, sem o contar de sua história, estariam perdidos na neblina do esquecido. O projeto rendeu ao Sesc recentemente o Prêmio Empresa Cidadã 2019 ADVB/SC. Trata-se de uma ação em prol do incentivo à leitura, da valorização do contador de histórias como profissional reconhecido e da difusão da literatura.

“Da Boca do Povo”, de Lieza Neves, aborda histórias tradicionais, nascidas da voz de alguém que há muito tempo, em terras distantes, resolveu contar, chegam até nós ultrapassando fronteiras geográficas e de idiomas, mas com o frescor e impacto de sempre. No repertório “Da Boca do Povo” a contadora de histórias Lieza Neves apresenta diversos contos da tradição oral, ressaltando a magnitude do principal instrumento desta arte ancestral: a voz. É ela quem conduz, cria imagens, propõe as emoções de cada história.

No espetáculo “A Caixa, os Brinquedos e o Mágico de Oz”, também de Lieza Neves, a contadora se utiliza de algumas técnicas do teatro de objetos para contar a história “O Mágico de Oz”, escrita por Lyman Frank Baum. De uma caixa de papelão usada para guardar brinquedos velhos saem os objetos que auxiliam a contadora a descrever as aventuras de Doroty no reino de Oz, funcionando como ilustração para a história. A cena ocorre próxima à plateia, remetendo a uma brincadeira infantil, em que manipulação e encenação não são realizadas com rigor técnico e sim de forma solta, por vezes, improvisada, como fazem as crianças. A peça propõe o jogo lúdico e literário, transformando objetos simples ou descartados em personagens e cenários. Lieza passará por Vidal Ramos (30/09), Rio do Sul (01/10), Pouso Redondo (02/10), Itajaí (03/10), Blumenau (04/10), Joinville (07/10), Jaraguá do Sul (08/10), São Bento do Sul (09/10), Mafra (10/10) e Canoinhas (11/10). https://www.sesc-sc.com.br/site/agenda/bau-de-historias-a-caixa-os-brinquedos-e-o-magico-de-oz-com-lieza-neves

“Maracá”, de Josiane Geroldi, circula por Curitibanos (30/09), Lages (01/10), Pousada Rural Sesc Lages (02/10), Urubici (03/10) e São Joaquim (04/10). O espetáculo conta a história de uma menina e um pé de cabaça. A cabaça era encantada: Virava casa de passarinho, cuia de chimarrão, instrumento musical, berimbau, esconderijo e belo embornal. Maracá é a voz que canta dentro da cabaça e através das histórias a mistura que é o povo brasileiro. O encanto de toda cabaça é vontade de explodir e espalhar o seu canto por aí. https://www.sesc-sc.com.br/site/agenda/bau-de-historias-maraca---cia-contacausos

O Espetáculo “Quedelhe o Boi?”, da Pequeninus Grupo de Arte, será apresentado em São Miguel do Oeste (30/09), Chapecó (01/10), Xanxerê (02/10), Concórdia (03/10), Capinzal (04/10), Joaçaba (07/10) e Caçador (08/10). Através da linguagem do teatro de bonecos, o grupo conta a história de Mané Mateus, que é o dono do boi que irá se apresentar, mas logo descobre o sumiço do boizinho. Quedelhe o boi? O Boi sumiu... Como vai acontecer a apresentação sem o boi de mamão? A adaptação do folguedo popular do Boi de Mamão se apropria de características de diversos bois brincantes do Brasil, aborda personagens típicos do folclore catarinense: a Maricota, o Vaqueiro Orides, a Bernunça, o Boi de Mamão, o Mané Mateus, a Benzedeira e o Doutor. Em tom cômico, o espetáculo também alerta sobre o maltrato dos animais nos locais onde acontece a farra do boi e os rodeiros. https://www.sesc-sc.com.br/site/agenda/bau-de-historias-quedelhe-o-boi---associacao-artistica-pequeninus

Já o espetáculo “Tiana e Gazé”, de Camila Miotto, circula por Balneário Camboriú (30/09), Brusque (01/10), Tijucas (02/10), Florianópolis (03/10), Palhoça (04/10), Laguna (07/10), Tubarão (08/10), Araranguá (09/10) e Criciúma (10/10). Tiana era uma princesa faminta de magia. Gazé era um sapo conquistador de lagartixas. Um dia eles se encontram para viver uma história cheia de poesia, que até poderia ser clássica, mas que toma um rumo surpreendente. A BiblioBike estaciona nesse brejo e vira o palco dessa história baseada no livro "A Princesa Tiana e o Sapo Gazé", do escritor Márcio Vassallo. https://www.sesc-sc.com.br/site/agenda/bau-de-historias-tiana-e-gaze-com-camila-miotto

Nenhum comentário:

Postar um comentário