sexta-feira, 6 de abril de 2018

Eduardo Pinho Moreira assume Santa Catarina em definitivo

Após renúncia de Colombo, Pinho Moreira tomou posse como governador titular do Estado até 31 de dezembro. No discurso, adiantou que o Fundam II foi negado pelo BNDES e que a SOL seguirá ativa

Eduardo Pinho Moreira (MDB) tomou posse em definitivo como governador do Estado de Santa Catarina na manhã desta sexta-feira (6), em cerimônia realizada na Alesc.  "Eu me sinto extremamente motivado para administrar Santa Catarina. Nesses próximos meses, a minha missão é cuidar dos mais de 7 milhões de catarinenses e o farei com extrema responsabilidade e com contenção dos gastos públicos", anunciou. Raimundo Colombo (PSD) entregou carta de renúncia nesta quinta-feira (5) para estar apto a concorrer ao Senado em outubro.
Médico por formação, o lagunense Eduardo Pinho Moreira, 68 anos, já foi eleito três vezes vice-governador e assume pela segunda vez o governo do Estado, o que ele classificou como "uma grata surpresa da vida" em seu pronunciamento. A primeira posse como governador ocorreu há 12 anos, com a renúncia de Luiz Henrique da Silveira, um dos seus mentores na política.
Após ser recebido pelo deputado Aldo Schneider (MDB), presidente da Alesc, e demais correligionários, o governador em exercício foi acompanhado ao plenário para a solenidade de posse, que foi precedida pela leitura da mensagem de renúncia do ex-governador Raimundo Colombo. 
Quanto a investimentos, o novo titular do cargo anunciou que, desde o dia 9 de fevereiro, o governo tem autorização da Secretaria do Tesouro Nacional para captar R$ 723 milhões, os quais devem ser investidos em ações de infraestrutura e segurança pública.
"Priorizamos a conquista de recursos para o Fundam, mas o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social [BNDES] negou." Pinho Moreira também anunciou que recuou na decisão de desativar a secretária de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) após conversar com lideranças do setor turístico.
Em seu discurso de posse, Eduardo Pinho Moreira reiterou as decisões tomadas em fevereiro, quando assumiu interinamente o governo, de "fazer uma gestão com extrema responsabilidade, com contenção dos gastos públicos, e de eleger as prioridades que representam os anseios da população e a preservação da vida, que são a saúde e a segurança pública".
Ele assegurou que em 2018 serão repassados para a saúde os 14% previstos na Constituição e destacou a obtenção de mais R$ 100 milhões para aplicação na área, provenientes do Ministério da Saúde. "Isso já tem resultados significativos e teremos uma saúde de qualidade em 2018."
Na área de segurança pública, afirmou que já houve diminuição da criminalidade nos últimos 60 dias. "Os latrocínios diminuíram quase 50% e também tivemos uma redução importante do número de homicídios", frisou. O governador atribuiu a redução dos índices à unificação das ações entre as polícias civil e militar.
Em relação aos gastos públicos, Moreira frisou que a gestão pública precisa reagir em Santa Catarina para equilibrar as contas e destacou que uma de suas principais medidas como governador interino foi promover a extinção de 15 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) visando a obtenção de economia aos cofres públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário